segunda-feira, 12 de abril de 2010

Leitura de mãos, regressão a outras vidas

Olha a nova onda de espíritas de plantão surgindo. Depois de uma semana do Filme do Chico Xavier, percebo um movimento pró-espírita quase tão forte quanto o de ‘coisinhas’ orientais dos últimos anos. De uma hora pra outra aparecem novas modinhas que os jovens, e os não tão jovens, absorvem de maneira impressionante, tal qual a das pulserinhas que fazem seus usuários pagarem prendas quando rompidas.

Eu achava que só os orientais e os europeus absorviam as culturas vindas de lugares desprestigiados economicamente, no entanto os brasileiros começam a dar ares de adequação a essa onda. Isso, por um lado é bom, mas nos falta o ‘cacuete’ de anos que nossos precursores têm. Essa nossa adequação tardia e sem critério me dá um pouco de medo e fico, muitas vezes, sem assunto com os meus alunos.

Nada contra religiões e gostos. Quer dizer, tenho sim algo contra algumas religiões e gostos, mas nada contra o espiritismo propriamente, acho interessantíssimo, embora discorde da onda caridosa que se construiu em torno dele. Sobre gostos, eu estou me acostumando a respeitar o dos outros, embora não entenda como tanta porcaria sai das prateleiras para as casas. Opa, sei sim. Nos falta cacuete.

Fecho este post sugerindo um belíssimo DVD: Buena Vista Social Club. Eu ganhei de Wanessa. Fazia tempo que música não me surpreendia. Agente pensa em cuba e de pronto em opressão, agora penso em driblar a opressão, não com armas, mas com palavras. Podia ter escrito canção, mas preferi evitar o trocadilho ...é, foi mais forte que eu.

4 comentários:

Wanessa disse...

Dessa vez vou comentar me apropriando do discurso do Guillén:

[...]
Salga el mulato,
suelte el zapato,
díganle al blanco que no se va...
De aquí no hay nadie que se separe;
mire y no pare,
oiga y no pare,
beba y no pare,
coma y no pare,
viva y no pare,
que el son de todos no va a parar!

Son n°6

Mauricio Maia disse...

Do que a gente falaria mal se as pessoas não fossem tão... er... esquisitas!?

*Obrigado por nos poupar a rima tosca!

Natália disse...

É fato. É incrível essa onda de "espiritismismo". O que um filme e outros veículos midiáticos (que cedem um espacinho das suas publicações para a devida propaganda do filme) não fazem, hein?

A propósito, adoro Buena Vista Social Club.

Tute Braga disse...

Pois é, filme espírita, nova que fala de espiritismo...
Como eu sempre falo: a religião é linda, o que estraga são as pessoas. E isso serve para todas! rs
SAUDADES!
beijosss